Pesquisar

Conheça nossos serviços!

Deseja saber mais sobre nossos serviços? Agende uma apresentação agora!

Quero criar um fundo!
Facebook Instagram

Blog

Entrevista: Sérgio Ribeiro, criador da Universidade Capenga

Postado por em 31/07/2013

Se você é universitário, com certeza já ouviu falar da Universidade Capenga, uma das febres das redes sociais que brinca com situações que um jovem universitário passa no dia a dia, utilizando de muito humor e criatividade. A Phormar conversou com o criador da página do Facebook e do Youtube, o estudante do 6º período Engenharia Mecatrônica da Universidade Federal de São João Del-Rei (Minas Gerais), Sérgio Ribeiro. Olha só o que ele contou pra gente.

Phormar – Como surgiu a ideia de montar a “Universidade Capenga”?

Sérgio Ribeiro – Começou com a ideia de montar um blog com tirinhas sobre a minha faculdade (UFSJ, Campus Alto Paraopeba (CAP), um campus só de ENGenhariA, logo CAP + ENGA = CAPENGA). Assim o blog (e, consequentemente, a página no Facebook) surgiu como UFSJ CAPENGA. Mas, após observar que pessoas de outras universidades também acessavam o blog, decidi generalizar a ideia, abrangendo todo o contexto universitário, criando assim a UNIVERSIDADE CAPENGA, em setembro de 2011. Em janeiro de 2012, fechei o blog por falta de tempo e continuei só com a página no Facebook – que chegou a 400 mil likes em março de 2013, quando decidi enfim tirar do papel uma antiga ideia, o canal de vídeos da UC.

Phormar – Sobre os vídeos, você quem escreve o roteiro, grava e edita? Ou possui alguma equipe que te ajuda?

Sérgio Ribeiro – Eu faço tudo sozinho! Mas, para mim, é uma diversão. Escrevo o roteiro básico seguindo a linha de pensamento que vem na minha cabeça, mas depois incremento com várias ideias e sugestões que vem dos próprios universitários da página e amigos. Eles me ajudam muito!

Phormar – Sobre as músicas, qual a sua fonte de inspiração? É você quem escreve as letras?

Sérgio Ribeiro – As paródias foram a minha primeira ideia para o canal, pois era o ‘mais fácil’ para mim, haha. Toco violão desde os meus 15 anos e já compus algumas músicas. De vez em quando, ouvia algumas canções e fazia paródias brincando com os refrãos. Aí, foi só juntar a temática da UC com algumas músicas que eu e a galera conhecemos bem!

Phormar – Você esperava a repercussão que a página no Facebook e o canal do Youtube ganharam?

Sérgio Ribeiro – De maneira nenhuma. Quando comecei a página, em 2011, não tinha ideia de nada. Apenas fui criando conteúdo, o pessoal foi curtindo, e a página crescendo. Com o canal no Youtube, a mesma coisa. Não sabia a reação das pessoas, afinal, não sou comediante. Mas decidi tentar, pois sempre gostei de vídeos. Então, por que não?

Phormar – Falando sobre sua escolha acadêmica, o que te levou a escolher seu curso?

Sérgio Ribeiro – Junto com o ensino médio, cursei Técnico em Eletromecânica e trabalhei um tempo na área. Cheguei a considerar uma variedade de cursos como Administração, Economia, Comunicação, Design e Propaganda. Mas uma série de fatores acabou me trazendo para a Engenharia, e agradeço muito a isso! Adoro a Engenharia justamente pelo seu caráter variado e multidisciplinar.

Phormar – Conte como você foi parar em Salamanca, na Espanha.

Sérgio Ribeiro – No início de 2012, me inscrevi no programa de bolsas “Ciência sem Fronteiras” do Governo Federal. Eu não sabia falar inglês, pré-requisito para outros países, e os únicos países que não exigiam uma língua específica eram Portugal e Espanha. Escolhi a Espanha, pois el castellano me encanta desde niño!

Phormar – Qual dica/conselhos você daria para os jovens universitários de Juiz de Fora e Região?

Sérgio Ribeiro – Embora possa parecer estranho, a principal dica que eu posso dar para qualquer universitário é: não só estude! Nenhum estudante deve apenas estudar. A experiência universitária deve ir muito além de ler livros, apostilas e tirar a nota para passar. Esta é uma fase única na vida na qual você deve desenvolver-se por completo. Foi-se o tempo em que o mercado queria apenas um recém-formado para treiná-lo para algum cargo. Hoje, o mercado busca um recém-formado já com características de um profissional com futuro. E uma das melhores opções para desenvolver tais características na universidade é envolvendo-se em projetos extraclasses. Mais que um universitário, ele deve ser um universitário ativo.

Confira o vídeo que o Sérgio Ribeiro fez sobre sua história de vida.